Mês: janeiro 2016

Pré-Produção

preproducao

Voltamos às nossas atividades na última segunda-feira, dia 11.

Nesta semana, iniciei a gravação de um trabalho autoral de um artista solo.

Será um CD com 10 faixas. A Pré-Produção, feita pelo próprio músico, foi tão bem feita que resolvi comentar a respeito.

Muitas bandas chegam para gravar no estúdio totalmente despreparadas.

Não sabem ou não conseguem tocar as próprias músicas. Não fazem ideia de coisas importantes como tonalidade e andamento. Não pesquisaram timbres e em alguns casos, nem terminaram o arranjo, deixando partes a serem pensadas e/ou improvisadas no estúdio.

Muitas vezes, e até dependendo do estilo musical, a improvisação não só é bem-vinda, como faz parte do trabalho. Mas, se é a primeira gravação, primeira vez em um estúdio, quanto mais pronto e preparado, melhor. Quanto menos coisas a decidir na hora, melhor.

Pré-Produção é isso. É o processo de preparação para realizar uma gravação.

É planejar todo o processo de gravação, definindo todas as etapas da produção.

O produtor musical é o profissional qualificado para realizar, junto à banda, a Pré-Produção.

Pois bem, o artista em questão chegou ao estúdio com a demo de todas as músicas a serem gravadas. As demos estavam completas com todas as vozes e instrumentos gravados ou programados. Timbres, volumes, panoramas, dobras e efeitos já num estágio bem avançado de definição, deixando a visão do artista bem clara em relação ao que ele imagina do trabalho.

Além das guias, ele trouxe uma relação com os andamentos e fórmulas de compasso de todas as músicas. Só faltaram as tonalidades.

Previamente, nós já havíamos estabelecido a ordem em que seriam gravados os instrumentos. Ele trouxe também uma lista com a ordem em que as músicas seriam gravadas, sendo totalmente coerente quanto ao aproveitamento das sessões e otimização do tempo.

Começamos a gravação pelo baixo. Ele usou um baixo do nosso estúdio e em pouco tempo chegamos num timbre bacana com uma soma da linha direta do baixo e da linha do amplificador. Logo foi possível perceber que ele estava TOTALMENTE preparado para executar as músicas. Sabia todas de cor e gravou quase tudo de primeira, em um único take. Isso possibilitou iniciarmos na mesma sessão as gravações de violão.

Da mesma forma, logo chegamos em uma microfonação que estava soando muito bem e em 4 horas, conseguimos terminar TODAS as linhas de baixo e metade dos violões.

Ele mesmo gravará todas as vozes e instrumentos, exceto a bateria. Nesse ritmo, creio que até o fim da próxima semana a parte dele estará toda gravada.

É isso. Pra quem estiver se preparando para fazer uma gravação fica esta dica: capriche na pré.

Seja o mais detalhista possível e tente prever possíveis dificuldades. Estude bastante o que vai gravar. Saiba tocar a música toda e, se necessário, separe os trechos mais difíceis para treinar separadamente. Crie planilhas, documente tudo. Essas informações serão úteis tanto durante a produção, quanto para produções futuras. Só entre para gravar quando tudo estiver definido e a banda estiver 100% pronta.

Se possível, trabalhe com um produtor musical. Você ganhará em qualidade, tempo e poderá economizar um bom dinheiro que seria consumido com horas e horas dentro do estúdio de gravação.

Como esta é a primeira postagem do ano, aproveito para desejar a todos um 2016 de muitas realizações.

Leandro Fonseca – Compositor, Professor, Músico, Produtor e Diretor da Mousikê Central Art fb.com/leandrofonsecatgk

Anúncios